23/08/2018 - Burger King suspende uso de canudos plásticos e Bob's lança versão comestível


Mudança estratégica de grandes marcas visa uma maior adequação à sustentabilidade

A rede de fast food Burger King anunciou que deixará de usar canudos de plásticos em suas lojas a partir de setembro. De acordo com a rede, no lugar dos canudos serão oferecidos apenas canudos biodegradáveis feitos de papel. Mesmo assim, só se o consumidor fizer questão do apetrecho. A mudança também irá ocorrer com as tampas de plásticos que acompanham as bebidas, que só serão distribuídas se solicitadas. A novidade será executada pelas 700 lojas da rede no Brasil e entra em operação a partir do próximo mês. Até lá, ainda será possível encontrar as versões em plástico, mas elas não serão mais entregues de forma proativa pela empresa.

Para produtos, como os shakes, que são mais sólidos, a marca está desenvolvendo um canudo próprio, de papel, para se adequar. A previsão é que em novembro os itens já estejam disponíveis para todos os consumidores. Pelos cálculos do Burger King, a mudança evitará o uso de 31 milhões de canudos por ano.

Canudos comestíveis

Já o Bob’s está lançando canudos comestíveis para o consumo de milk-shakes. A partir desta semana, o produto será disponibilizado nos restaurantes da rede no Rio de Janeiro. Eles são feitos de biscoito e chocolate e funcionam exatamente como um canudo, podendo ser consumidos ao final do milk shake. Os chamados Tubetes Shake são produzidos pela empresa Barion e serão utilizados para abolir os canudos de plástico no consumo dos milk shakes.

Desde o início de julho a rede já está no processo de substituição dos canudos de plástico por recicláveis e biodegradáveis em todo o Brasil. No Rio de Janeiro, conforme exigência da legislação local, a companhia vai oferecer canudos de papel para consumo de bebidas. No restante do país, o canudo comestível para milk shakes terá a sua implantação iniciada na sequência. Atualmente a rede já utiliza canudos recicláveis, biodegradáveis e certificados internacionalmente pela OPA, autoridade nos assuntos relacionados aos plásticos biodegradáveis por processo de oxidação.

Com informações da NewsTrade e DM