pr.abra

O setor do turismo é um dos mais afetados pela pandemia em 2020. Segundo cálculos feitos pela United Nations World Tourism Organization (UNWTO), os fluxos internacionais de turistas devem ter uma queda de 22% no ano, enquanto as receitas geradas no segmento serão entre 20% e 30% menores na comparação com 2019. Segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), só o Brasil perdeu R$ 46,7 bilhões em faturamento ao longo do ano.

A pedido da Forbes, a Geofusion, empresa de inteligência geográfica de mercado, realizou um estudo para entender, durante a pandemia, o movimento de hotéis, pousadas, bares, lanchonetes e restaurantes dos 10 destinos mais procurados pelos turistas nacionais, segundo o Ministério do Turismo: Fortaleza (CE), Maceió (AL), Natal (RN), Gramado (RS), Rio de Janeiro (RJ), Porto Seguro (BA), Ipojuca (PE), São Paulo (SP), Salvador (BA) e Campos do Jordão (SP).

O levantamento da Geofusion é feito com base nas transações realizadas pelos estabelecimentos com cartões de crédito e débito nestas regiões entre os meses de janeiro a outubro deste ano.

A conclusão da análise é que as cidades menores e com grande foco no turismo foram as mais impactadas, como Ipojuca (PE), Campos do Jordão (SP) e Porto Seguro (BA). As capitais do Nordeste, sempre muito procuradas pelos turistas, sofreram um impacto moderado, enquanto São Paulo e Rio de Janeiro, por serem grandes metrópoles, terem uma economia mais diversificada e receberem viajantes a negócios tiveram menos impacto, segundo o estudo.

Os meses de maio, junho, julho e agosto foram os que tiveram maior impacto para o turismo. Nos meses seguintes os estabelecimentos foram apresentando uma retomada, sendo que em setembro, quase a totalidade dos hotéis e restaurantes de todas as cidades podem ser considerados abertos, muito provavelmente impulsionados pelo feriado de 7 de setembro.

Fonte:https://www.forbes.com.br/forbeslife/2021/01/estudo-mostra-o-impacto-da-pandemia-em-hoteis-e-restaurantes-de-regioes-turisticas/

Comentários